sábado, 11 de julho de 2015

Filmes | Inception

Inception é, provavelmente, o filme que vi mais vezes, desde sempre. Sempre que sei que alguém não viu, faço questão de ver com a pessoa, mesmo já o tendo visto milhões de vezes e conhecendo a história de trás para a frente e nunca recuso quando sugerem vê-lo numa aula ou numa noite em casa de alguém. Arrisco em dizer que, se tenho um filme preferido, é este. Há necessidade de dizer que foi realizado pelo... adivinhem... Christopher Nolan? Pois, bem me parecia.


"Dom Cobb é um talentoso ladrão, o melhor na arte da extracção: ele rouba segredos e ideias às pessoas diretamente das profundezas das suas mentes, durante os sonhos – estado em que a nossa mente está mais vulnerável. A rara habilidade de Cobb fez dele uma das pessoas mais influentes neste novo mundo de espionagem empresarial, mas também fez dele um fugitivo internacional e custou-lhe tudo o que já amara. Mas agora foi-lhe oferecida uma oportunidade para se redimir. Um último trabalho pode devolver-lhe a sua antiga vida. Em vez do assalto perfeito, Cobb e a sua equipa de especialistas têm exatamente de fazer o inverso: instalar uma ideia na mente de alguém. Se tiverem sucesso, poderá ser o crime perfeito. Mas todo o cuidado é pouco, pois têm um perigoso inimigo cada vez mais perto, que só Cobb poderia ter visto aproximar-se."

A sinopse não lhe faz jus, mas eu também vou tentar não fangirlar aqui muito, caso contrário, ninguém vê o filme e não queremos isso. Apresento-vos uma pequena listinha do porquê de o ter visto, sem ninguém mo ter indicado:

1) Leonardo DiCaprio.
2) Christopher Nolan.
3) Joseph Gordon-Levitt.
4) 8,8 no IMDb.
5) Era um filme recente, quando o vi. (Foi lançado em 2010.)
6) Instalou-se logo um burburinho, quando saiu.
7) Tom Hardy.


Agora, para vocês que me estão a ler, não precisam de o ir ver às cegas ou de não ver com medo de não gostar. Garanto-vos que é impossível não gostar deste filme (desde que não estejam no mood para Mean Girls e decidam ver antes isto). Pensem bem: o que é que podia correr mal num filme em que as pessoas estão conscientes nos seus próprios sonhos e o seu trabalho é roubar ideias/plantar ideias na mente de outros? Nada. Absolutamente nada. Prometo-vos intriga, ação, 148 minutos sem tirar os olhos do ecrã, muita pesquisa sobre teorias após acabar, muita indignação e ódio temporário pelo realizador (não, não estou a dizer  que o principal morre ((e também não estou a dizer que não morre))). Se gostam de filmes que vos deixam a pensar neles, mesmo quando já o viram há uma semana, this is it
Aproveitem! O que eu não dava para ver este filme outra vez, como se fosse a primeira...

Um comentário:

Seguidores

Google+ Followers

About me

Blog Archive