segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Oscars 2016

Nem estou em mim! O DiCaprio finalmente ganhou o tão merecido Oscar. Sinceramente, acho que toda a gente vê este prémio mais como um agradecimento por tudo o que ele já fez pelo cinema do que mais propriamente pela performance neste filme em específico. 

Acho que este momento apenas foi o suficiente para que os Oscars deste ano tivessem um balanço positivo. Nada nem ninguém vai igualar a Ellen como apresentadora, mas é ainda menos provável que alguma outra vitória faça tanta gente tão feliz como a do Leo fez ontem. Por isso, uma salva de palmas à Academia que resolveu deixar o seu amor por transexuais, homossexuais, prostitutas e drogados de lado desta vez. Não é preciso um grande papel para se ser um grande ator e aqui está a prova. Será sempre dos meus favoritos.

Confesso que ainda não vi os filmes nomeados (algo que tenciono fazer), mas, pelo que ouvi, não houve grandes surpresas na maioria dos vencedores.

Quanto aos modelitos da red carpet mais esperada do ano, aqui vão as minhas escolhas: 

Não gostei especialmente de nenhum look, mas estes foram os melhorzinhos. Destaque para a Rachel e a Saoirse.


Relativamente aos piores, havia muito por onde escolher. A Kate parece ter vestido um saco do lixo, a Kerry parece ter um colete à prova de balas, a Heidi está como uma fada e quanto à outra senhora nem sei o que dizer.

E vocês, o que têm a dizer sobre a noite mais importante do cinema?

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Zara is my addiction


Ontem fui ao site da Zara e encantei-me com a nova coleção, especialmente com o calçado e as malas. Apetece-me comprar tuuuudinho!

sábado, 27 de fevereiro de 2016

MODA | Gigi Hadid e Kendall Jenner


Quem anda minimamente por dentro deste tipo de assunto, está fartinho de ver estas duas por tudo o que são desfiles e capas de revista. São duas modelos milionárias, bonitas e com uma enorme legião de fãs, perseguidas por paparazzi sempre que saem à rua. Juntas, têm mais de 64 milhões de seguidores no instagram. Porém, este par suscita muita controvérsia no que diz respeito à legitimidade da sua ainda curta, mas muito bem sucedida carreira na moda.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016


Acho que associar músicas a pessoas é das coisas mais queridas que o ser humano, inconscientemente, faz. Às vezes ponho-me a pensar que músicas fazem as pessoas lembrar-se de mim e espero que sejam as do Ed Sheeran.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Moda | A minha experiência num casting


Devia ter os meus 11/12 anos quando, à saída da escola, vieram falar comigo pela primeira vez. Eram duas senhoras muito chatinhas que me disseram ser de uma agência de modelos e que gostavam muito que eu fosse a um casting. Descartei-as rapidamente, porque já sabia que os meus pais não iam achar muita piada à ideia, mas, quando lhes contei o sucedido, disseram-me que não viam mal nenhum na ideia e que até podia ser engraçado. 

Uns tempos depois, voltei a ser abordada à porta da escola, desta vez por um homem e uma mulher. Deixei que ficassem com os meus dados e, passado uns meses, ligaram para a minha mãe a marcar o casting com a diretora da agência (cujo nome não me recordo).


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

quick update


Eu sei que isto por aqui está mais parado do que a quinta temporada de The Walking Dead, mas Matemática tem exigido mais de mim que nunca. A nota deste período é mesmo importante! Também por isso, tenho andado desanimada. Parece que posso passar o fim-de-semana todo sentada nesta cadeira, fazer as 20 fichas que o professor manda e os exercícios do livro e mesmo assim chegar aos testes e não conseguir fazer nada de jeito. Estou a descer a todas as disciplinas precisamente na altura em que ando a estudar mais e isto é demasiado frustrante.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

do próximo carnaval não passa



Daenerys Targaryen, Game of Thrones.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

acabei After, e agora?


Acabei há bocadinho o último livro da saga After e estou inconsolável. Sabem quando estão a ler uma coisa que adoram e sabem que, mais cedo ou mais tarde, vai acabar, mas não querem que acabe e, por isso, leem tudo com muita atenção e devagarinho, porque é a última vez que vão ler aquilo pela primeira vez? Não se poder reler ou rever coisas como se fosse a primeira vez é das piores coisas do mundo. 

After foi uma distração e a melhor parte do meu dia muitas vezes, nos últimos meses, e não estava preparada para ficar sem o Harry e a Tessa já. Estes livros são, sem dúvida, um dos meus guilty pleasures. Foram os primeiros livros da escritora Anna Todd e começaram como uma simples fanfiction escrita no Wattpad, mas já foram publicados e o filme já está a caminho. 

Se a escrita brilhante for a vossa característica preferida num livro, nem precisam de se dar ao trabalho de ler (apesar de a diferença ser notória do primeiro para o terceiro). Não é má, mas não é excelente. O forte desta série é a história e foi a história que prendeu biliões de pessoas ao ecrã do seu telemóvel a ler capítulo atrás capítulo. Esperem referências a grandes obras da literatura inglesa, situações muito engraçadas, situações muito tristes, acontecimentos que deitam por terra o que davam por adquirido e, acima de tudo, esperem uma batalha interior no que respeita a apoiar ou não a relação tóxica das duas personagens bem como uma relação amor-ódio constante com ambos.

Um aspeto positivo é tratar-se de uma história que não está repleta de clichés e que nos põe frente a frente com pessoas "reais", com defeitos, infâncias complicadas, problemas de adaptação e, acima de tudo, que cometem erros. E a Anna fez um excelente trabalho em conjugar as qualidades e defeitos de todas as personagens da história. 

Ainda assim, o que mais destaco, é a capacidade da escritora de nos por agarrados à história a todos os momentos e, como ela diz, de nos fazer "sentir coisas". Já fiquei extremamente feliz e extremamente chateada, nostálgica, triste e entusiasmada ao ler, mas nunca deixei de o fazer, porque a ansiedade de saber o que acontece a seguir sobrepõe-se a tudo isso. 

Por isso, sim, aconselho-vos a ler. Não vão ficar mais cultos depois de o fazerem, mas vão gostar de (praticamente) todos os momentos de leitura e, no fim, vão ficar como eu, com aquele sentimento horrível de não saberem o que fazer com a vossa vida... Ugh. Apetece-me ler de novo.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

PLL - 5 years foward


É só de mim ou estes últimos episódios de Pretty Little Liars estão a dar 1000-0 às últimas quatro temporadas? Obrigada por me lembrarem do porquê de ter começado a ver isto!

PS: Hanna, és definitivamente a melhor personagem. Spencer, és uma desilusão.

domingo, 31 de janeiro de 2016


Acho cada vez mais que as pessoas são demasiado sensíveis. Não sou, de todo, a favor do racismo ou da homofobia, mas parece que tudo o que se diz ou faz pode ser tornado em algo insultuoso. É impossível dizer algo publicamente ou fazer uma piada que não ofenda ou a raça preta ou os homossexuais ou as feministas ou os vegetarianos. Levam tudo como um ataque pessoal e começam a tornar-se insuportáveis.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

dica de estudo


Se quiserem estudar em casa, evitem estar confortáveis. É isso mesmo que leram. Descobri recentemente que é muito difícil concentrar-me no estudo se estiver pronta para dormir em dois segundos, portanto nada de tirar o sutiã, as botas ou vestir o pijama. É sentar na secretária como se estivesse na escola ou na biblioteca. E resulta lindamente!

sábado, 23 de janeiro de 2016

it's a closure


As coisas não melhoraram nem vão melhorar e está na altura de me habituar a isso. Eu e a Leonor continuamos sem nos falar e  a Francisca juntou-se a ela, como sempre, contra mim. O Tiago fala constantemente comigo para saber como estou e para me assegurar que não concorda com nada daquilo que elas dizem sobre mim, muito menos com as atitudes que têm para comigo. O que mais me enerva é a Leonor fazer-se de vítima à frente dos meus amigos, mostrar-se muito triste com a nossa separação e, no entanto, não ter tentado falar comigo uma única vez sobre o assunto. Isso e a Francisca passar a vida a dizer que me adora, quando claramente o caso é outro. Já estive quase a chamá-las a um canto e dizer tudo o que tenho a dizer, mas decidi que não vou fazer nada disso. Se elas estão com a consciência tranquila, depois de tudo, não vou ser eu a dizer-lhes que o que estão a fazer é errado e que ainda têm muito que crescer. 

Tenho que me convencer que nenhuma delas vai pedir desculpa, nunca, e que não preciso assim tanto delas. Elas são mesquinhas, infantis e têm atitudes completamente disparatadas. Vão continuar a dizer que manipulo as pessoas só porque essas pessoas vêm a situação da mesma forma que eu e, por mim, tudo bem. Tenho gente muito melhor do meu lado e daqui a umas semanas não me vai fazer confusão que elas saiam sem me convidar, digam que não podem ir não sei onde e depois saiam com o outro grupo, etc. Quem perde são elas, não sou eu.

2016 goals


Sei que já estamos no final de Janeiro, mas achei que os meus objetivos para este ano deviam ter uma publicação exclusivamente sua, de fácil acesso e com muita visibilidade, para não haver espaço para esquecimento. Para além disso ainda acrescentei mais alguns e quero mesmo riscar um por um!

Assistir à recuperação da minha mãe.
Entrar na universidade.
Fazer uma das viagens na minha lista.
Ver todos os filmes nomeados para Óscar.
Ir ao cinema, pelo menos, cinco vezes (1/5).
Viver com amigas.
Passar uma semana fora com amigos.
Remodelar o meu quarto.
Tirar 17 ou mais nos dois exames de 11º.
Tirar mais de 18 no exame de Matemática.
Ir a uma viagem de finalistas.
Ir a um parque aquático.
Conhecer Lisboa.
Ver os Kodaline.
Ver os Muse.
Ver o James Bay.
Comprar algo da Victoria's Secret.
Aumentar a minha coleção de maquilhagem.
Aprender a maquilhar-me como deve ser.
Jogar ao Quinze.
Acabar de ler After.
Ler Memorial do Convento.
Começar a ver, pelo menos, duas séries novas. (1/2)
Arranjar um hobbie do qual goste.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

coisas que me tiram do sério


Pedintes em cafés. Pessoas que passam à frente em filas. Spoilers.

domingo, 10 de janeiro de 2016

2016 tem tudo para ser o meu ano


2015 foi sem dúvida um dos piores anos que vivi até agora. Mau a nível de realização pessoal, relações em geral, saúde, crescimento cultural, entre outros. A minha mãe ficou doente, não viajei para lado nenhum, deixei de falar com metade das pessoas que considerava amigos, não fui a nenhum concerto, tive os meus primeiros exames a sério e correram bastante mal para o que estudei... foi um ano esgotante. Quanto a 2016, tenho a sensação de que será bastante melhor e a palavra para este ano é ambição. O que vai acontecer? Leiam.



Ando a perder a cabeça na Kiko... Estou no processo de me tornar numa makeup addicted, ao nível da Kylie Jenner.

sábado, 9 de janeiro de 2016

bday girl - 17 aninhos


Ontem foi o meu aniversário e foi, sem dúvida, dos melhores que já tive. Começou às 00h, com o meu telemóvel quase a bloquear de tantas mensagens fofas e engraçadas que os meus amigos mandaram. A piorzinha foi mesmo a da Leonor, que parecia vinda de uma pessoa desconhecida. Enfim. 

Também ajudou o facto de ficar livre a partir das 10h por só ter uma aula à sexta-feira. Durante o intervalo, cantaram-me os parabéns aproximadamente 10 vezes, de cada vez que um professor que era ou já tinha sido meu passava por nós. A melhor parte foi quando a minha professora de Biologia do 10º ano passou, um amigo gritou "professora, a I faz anos", ela veio dar-me dois beijinhos e foi a correr à sala dos professores buscar bolo. Voltou, tirou velas da mala (não me perguntem porque raio é que ela tinha velas na mala), acendeu-a com fósforos que também tinha trazido e cantaram-me os parabéns novamente. Com tanto aparato, até uma funcionária, o subdiretor e diretor da escola vieram cumprimentar-me e felicitar-me. Senti-me deveras importante!

Às 11h fui com a Gabriela (A) e outra amiga minha ao Norte Shopping. Queríamos ir ao cinema, mas acabamos por passar o dia nas compras por não haver sessões a horas decentes. Duas amigas minhas, com quem não estou tanto tempo como queria, também foram lá ter e fomos todas lanchar ao Jeronymo (experimentei scones pela primeira vez e gostei muito!).

Recebi mensagens durante o dia todo (incluindo do André, dá para acreditar?), publicaram fotografias comigo, recebi chamadas de pessoas inesperadas e fizeram-me sentir a pessoa mais especial do mundo!

Quando cheguei a casa, a minha mãe e a minha irmã tinham a mesa posta para muitas mais pessoas que os quatro habituais cá de casa. Vieram jantar as minhas primas gémeas que adoro, o namorado de uma delas, a minha tia mais divertida e o namorado da minha irmã. Para comer o bolo, ainda vieram um tio e uma prima do lado paterno. A casa estava cheia de gente, como eu gosto, e o jantar e bolo estavam meeeesmo bons. Passamos a noite a falar de filmes, atores, celebridades em geral, Oscars e de vídeos engraçados do youtube. O dia acabou comigo a quase chorar. Recebi imensos presentes e adorei todos (eram mesmo coisas que eu queria e até estavam na minha wishlist do natal): um macacão, uma blusa, um casaco, uma carteira, umas botas e, aquele que eu não esperava, um bilhete para um dia à minha escolha do NOS Alive! Nem acredito que, este ano, vou a dois concertos e um festival... não estava mesmo nada à espera e não podia ser melhor.

Bem me disseram que os 17 são a melhor idade... para já confirmo, sem dúvida! 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Natal, Passagem de Ano e Regresso às Aulas

Adorei este Natal. Ao contrário dos anteriores, soube mesmo bem. Cada ano é um ano, não é? E há anos em que simplesmente não estamos virados para a coisa... este não foi um deles. As minhas primas pequeninas estiveram presentes e entre espetáculos de dança e cantorias, jogos e abertura dos brinquedos, o ambiente é outro.


A minha passagem de ano foi tão divertida como chata. Passei a meia-noite em casa e depois o meu grupo de amigos decidiu ficar pela casa de um deles. Esse rapaz tem um salão (e uma casa em geral) enorme, portanto, com bom sistema de som, comida, bebida e as pessoas certas, as festas costumam ser sempre boas. Dancei muito e diverti-me imenso, mas também tive de andar a limpar o chão e a cuidar de amigos que beberam demais. O balanço foi positivo, though.

Entretanto já tive uma festa de aniversário de uma das minhas amigas mais próximas (que adorei) e estou quase a fazer aninhos! Para já, voltou o inferno de acordar às 7h30 e estudar longas tardes em que só apetece deitar no sofá e dormir até ser hora de jantar. Vou ter que esquecer noitadas de séries e grandes festas, mas não pensem que não estou em contagem regressiva para o Carnaval. 

Seguidores

Google+ Followers

About me