terça-feira, 4 de agosto de 2015

relações n' stuff


Os namoros que mais me chamam à atenção são aqueles em que se nota perfeitamente que as pessoas são feitas uma para a outra. E com isto não quero dizer que gostam dos mesmos filmes e têm o mesmo género de música, mas sim que se completam e que isso é algo visível aos que os rodeiam. Os reservados, aqueles que são mais amigos do que namorados e que nunca cancelam uma saída de grupo para estarem sozinhos, porque sabem que vão ter milhões de hipóteses para isso. São precisamente os casais que não põem fotografias em redes sociais a toda a hora, que raramente dão beijos em público e que passam 90% do tempo a gozar um com o outro... que não se levam a sério, nunca discutem e, quando o fazem, resolvem tudo passado 5 minutos porque não faz sentido ficarem chateados; que têm aquele tipo de relação em que o "amo-te" não é só mais uma palavra a seguir ao "boa noite" e não há vergonha em mandar fotografias horrorosas, do pior ângulo e com a pior careta possível, de si próprio para o outro, porque ele vai continuar a achar que namora com a pessoa mais bonita do mundo, apesar de responder "és horrorosa/o, esconde-te num sítio e nunca mais saias de lá". Não sei se alguma vez me sentirei assim à vontade com alguém, num namoro. 

Um comentário:

Seguidores

Google+ Followers

About me