sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Passagem de Ano 2014/2015

Este ano a passagem de ano foi muito diferente do habitual. Começou por ser na casa da minha tia, em vez de no apartamento pequenino da minha avó e avô, onde pelos vistos já somos muitos para o espaço. Estava desanimada por isso, não gosto que se alterem tradições. No entanto, acabou por surpreender pela positiva. A sala estava bastante aconchegante, com a lareira ligada e mais sofás. Nunca pareceu vazia, estava cheia de luz. Conheci o rapaz com quem uma das minhas primas gémeas namora e vive há uns anos, em Lisboa. É muito simpático e parecem dar-se muito bem. Tivemos uma atuação das Violetas, vindas do Brasil aka as minhas primas de 8 anos a cantar e dançar, apresentadas assim pelo meu tio com mais jeito para crianças. Pela primeira vez em cinco anos, não vi a casa dos segredos nem morri de tédio à espera da meia-noite. Aliás, chegou muito mais rápido do que eu estava à espera, não dei pelo tempo a passar. Finalmente, provei sonhos e gostei. Fiz de instrutora de dança para as Violetas, durante umas 5 músicas. Experimentei 3 vestidos até me decidir por qual levar à festa. Decidi-me por um preto de renda com um casaco de fazenda vermelho - tudo da minha outra prima gémea. Estiquei o cabelo. Maquilhei-me. Atrasei-me.


Estava a sair de casa dos meus tios às 00h45, quando era suposto estar em casa do J às 00h30 para irmos para a festa - a minha primeira festa da passagem de ano. Chegamos lá por volta da 1h. O evento tinha sido planeado pelo grupo de amigos do N, tal como no ano passado. O espaço era totalmente diferente do que eu imaginava (5x mais pequeno), mas estava giro e ninguém morreu esmagado, pelo contrário. A música estava boa, não houve problema em deixar o casaco/bolsa guardados para se dançar à vontade, era bar aberto e experimentei uma bebida que gostei muito para além da minha tradicional vodka preta com seven up. Estava lá toda a gente que eu queria que estivesse, o pessoal da minha turma também foi. A início todos encostados a um canto, mas depois de meia hora de shots, a dançar como profissionais no meio da pista. 


Um dos pontos altos foi, sem dúvida, estar com a A, começar o Jajão e o N convidar-me para dançar. Devo ter ficado com a maior cara de parva de sempre, mas fui. Pelo caminho, olhei para trás e só a vi a afastar-se para a beira do nosso grupo, com a cara mais cómica de sempre: os olhos e a boca super abertos, como se ele me tivesse pedido em casamento ou assim. Para além dessa vez, pediu-me para dançar mais duas, mas da segunda, não me largou mais até irmos embora. Ele não estava bêbado, nem sequer alegre. Foi giro abrir os olhos enquanto dançávamos agarradinhos e ver metade dos meus amigos e metade dos amigos dele colados a olhar. Acho que toda a gente estava à espera que acontecesse mais qualquer coisa. E aconteceu, quando fui embora. Fui a primeira a ir, sou a mais nova do grupo e os meus pais só me deixaram ficar até às 3h40 (e 32 segundos, não é? Tipo!) Despedi-me de todos e quando chegou à vez dele, beijei-o. Não sei o que me deu, foi uma decisão repentina. A seguir saí, e estava no hall à espera do J, que vinha comigo e ainda se estava a despedir. Isto até que aparece o N, me beija outra vez, diz "Feliz Ano Novo" e vai embora. He knows things.


Portanto, não mudou nada desde que começou o ano e agora estou deprimida. As aulas estão quase a começar, tenho exames, a miúda mais insuportável de sempre ainda está na minha turma, faço anos para a semana e ainda não sei onde fazer o jantar de aniversário. No ano passado, vi Game of Thrones inteiro nas férias de Natal e mais não sei quantos filmes. Este ano, nem sequer consegui pôr em dia todas as séries que vejo, quanto mais ver uma nova, quanto mais ver os filmes que tinha planeado. Vou ver Maze Runner, porque parece que há lá um rapazinho giro e a sinopse parece-me bem. 

Um beijinho a todos e Feliz Ano Novo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

About me