quinta-feira, 26 de março de 2015

ou eu sou forreta ou a minha turma é estúpida


Sábado temos a festa do L e, como tal, ontem criou-se um grupo no Messenger para decidir a prenda a oferecer. Tendo em conta que é ele que vai pagar o jantar a todos, é óbvio que ninguém se importa de dar um bocadinho mais de dinheiro para a prenda do que o normal. Afinal, é ele que vai ter todos os custos... percebe-se o porquê, mas prenda em grupo com a minha turma dá sempre problemas. 

Começou logo quando sugeriram dar um relógio: toda a gente pareceu concordar e eu fui a única que achou patético. Primeiro, eramos um grupo de 10 pessoas, o relógio ia custar no máximo 100 euros, se estivéssemos dispostos a pagar 10 cada um. Não é preciso ser-se muito informado para se saber que um bom relógio, bonito e tal, nunca na vida custa 100 euros. Em segundo lugar, parece-me um objeto demasiado pessoal e caro para se ser dado sem se fazer ideia do modelo que ele gosta, se já tem um, com a possibilidade de ele nem achar piada a andar de relógio ou de andar de olho em algum e lhe darmos outro... Pessoalmente, acho que um relógio é daquelas coisas que temos de ser nós a comprar, conscientes da compra. Não é uma peça de roupa, que se tem quinhentas, se dá e a pessoa troca se quiser. É algo com o qual vamos possivelmente andar todos os dias e por isso tem que ser bom e temos que gostar mesmo. Pelo menos, da maneira que eu vejo as coisas. 

Outra coisa que eu não entendo é a necessidade que as pessoas têm de estabelecer um valor (no caso, 10 euros) antes sequer de pensarem na prenda que querem dar. Simplesmente não faz sentido para mim dizer "ora bem, numa ocasião normal pagaria 7 euros pelo jantar e cerca de 3/4 euros pela prenda, por isso vamos dar 10 para a prenda, já que ele paga o jantar e assim gastamos o mesmo que gastaríamos". Por amor de Deus, em vez de quererem poupar no que podem, parece que nasceram todos em bercinhos de ouro e podem esbanjar assim. Eu já disse que não passo dificuldades e não sou, de certeza, a que tem menos possibilidades no grupo de pessoas em questão, por isso é que já me estava a irritar que ninguém comentasse nada por achar um valor demasiado alto e desnecessário. O mais ridículo de toda a situação, e aí passei-me, foi quando a A deu a ideia de uma prenda que todos concordamos que ele ia adorar e uma rapariga se virou "ai não pode ser, ao dividir por todos dá menos de dez euros!". A criatura, em vez de pensar "olha, ele gosta e ainda por cima não fica tão caro, melhor para nós", não! Quase recusou porque ficava abaixo do valor em que tinha pensado. Por favor, digam-me que não sou eu que não tenho os parafusos todos. 

Um comentário:

  1. Nessas situações às vezes as pessoas querem mostrar que podem dar aquele dinheiro e que podem dar aquela prenda... Em vez de se preocuparem em dar algo que a pessoa realmente vá gostar, preocupam-se em oferecer algo em que o preço 'fale mais alto'.

    ResponderExcluir

Seguidores

Google+ Followers

About me