sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Primeira semana de aulas - 11º ano

Hoje, sexta-feira, cheguei a casa por volta das 13h30, almocei e sentei-me no sofá, lá para as duas e meia, à espera da minha irmã, que tinha ido trocar de roupa. São 18h30 e acordei há 5 minutos. Não sei bem o que me espera, mas a ser assim todas as semanas... é grave.

A minha semana começou com uma aula de português com a professora Júlia Marques aka prof nova (que escreveu o nome no quadro, como se fosse difícil de pronunciá-lo ou assim). Primeira impressão: super antipática, exigente e eu chumbo mais de metade dos meus alunos. (Volte, prof Helena!)  Ficamos os 90 min na aula, porque não nos deixou sair mais cedo e - o ponto alto do dia - informou-nos de que não vamos ler Os Maias. Ia desmaiando? Sim. Queria cortar os pulsos? Também. Apetecia-me assassinar alguém? Definitivamente. (Agora já posso ler o 2º volume de Fifty Shades of Grey, sem me sentir culpada por não estar a ler Os Maias). No ano passado, estudamos um romance de Eça (A cidade e as serras) e a professora avisou-nos que a obra escolhida pela escola, no 11º, poderia ser essa, mas que assim, já a tínhamos lido e, por isso, já estávamos mais ou menos preparados. Quando alguém disse isso, a resposta foi "Ai já leram? Então não pode ser essa a obra deste ano!". Claramente ela não sabe o conceito de facilitar a vida aos estudantes-que-vão-ter-exame-de-duas-específicas importantes-este-ano.




A minha DT, prof de Biologia, tem uma personalidade muito esquisita. O J diz que a personalidade dela caracteriza exatamente o tipo de professor que ele mais odeia. Aparentou ser simpática e pensavamos que íamos gostar dela. Acontece que ela define-se como muito direta - passa a vida a corrigir-nos e criticar-nos - e sente-se ofendida por dizermos que gostávamos imenso da prof do ano passado. Arranja probleminhas com coisas mínimas, é muito picuinhas. O tempo dirá o que vai sair dali.

A minha prof de Físico-Química continua a mesma gostosa que tem idade para ser nossa mãe, mas que faz com que as aulas valham a pena, para os rapazes. Continuo sem ter a certeza de que gosto dela, visto que é daquelas professoras que responde muito aos alunos e dá origem a discussões engraçadas, mas, por outro lado, consegue ser muito desagradável, às vezes. Quanto ao método de ensino, ela é excelente. Explica muito bem e dá-nos carradas de exercícios. Por isso, fiquei contente por ficar com ela, outra vez.

A de EF está igual. Sabe o valor que a sua disciplina tem para nós (basicamente, que não nos interessa para nada) e está totalmente bem com isso. Deixou-nos sair da apresentação 10 minutos depois de começar, dá aulas divertidas e dá altas notas. Gosto muito dela.

A de Matemática era de quem gostava menos o ano passado e tornou-se uma das minhas preferidas, agora. Não sei como descrevê-la... é que só visto. É do tipo de pessoa que é super inteligente numa determinada matéria (no caso, Matemática) e burra como uma porta/ingénua/inocente sobre o resto dos assuntos do mundo (para de explicar, olha para a janela durante 5seg e diz "Oh!...Está a chover...!"). Mas que é boa professora, é, e faz de tudo para conseguirmos ter excelentes notas. Passa a vida a elogiar a nossa turma e diz que é a melhor que teve em 26 anos de trabalho (não duvido que seja verdade). É toda babada. Acho que se pudesse, ia connosco para a faculdade. 

A de Inglês e Filosofia são do mesmo estilo, divertidas, engraçadas e felizes com a vida.


Mais especificamente sobre a primeira semana... foi levezinha. 

- À terça feira entro às 8h e saio às 18h30 e quase tinha um esgotamento (e não fiz física e saí mais cedo de quase todas as aulas), por isso está complicado.

- Fiz uns 4 testes diagnósticos e cheguei à conclusão que tenho muito que estudar.

- Sentei-me à frente com  a verdadeira A (e vai ser a única A daqui em diante, passando a anterior para AC) e percebi que independentemente do nosso sitio na sala, vamos sempre estar a falar sobre random stuff e a rir-nos como duas atrasadas mentais. She makes it easier.




- Fui à primeira explicação e gostei muito. (o professor Francisco disse que eu tinha capacidades para bem mais do que a minha nota! Yey!)

- Não vi o N. Ele anda numa escola diferente da minha, ainda que ao lado uma da outra, e só tem aulas de manhã, por isso, nunca almoça pelo café habitual. 

- Vi o C todos os dias às 8h, a sair da minha escola - vai, com certeza, levar a AC e depois volta para a sua escola.

Foi bom, foi bom. Já me lembro como era... agora já podem voltar, férias :) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

About me