quarta-feira, 9 de setembro de 2015


Estou ansiosa pelo debate de amanhã. Acho que todos devíamos estar. Não é uma questão de se gostar ou não de política, é uma questão de termos conhecimento acerca do que nos rodeia e do que interfere no nosso dia-a-dia. 

Sinto que a maior parte das pessoas abaixo de 30 anos pouco se importa com quem governa o país. Por falta de interesse ou por qualquer outra razão, não votam ou, pior, votam pelo nome do partido em questão. Sem saber o candidato a primeiro-ministro, sem saber os seus antecedentes e sem saber quais são as suas perspetivas e planos para o futuro. Faz-me muita confusão ouvir coisas como "eu votaria no PSD nem que lá estivesse o Hitler". Acho preocupante a falta de conhecimento das pessoas sobre coisas tão importantes como é a liderança de um estado. Eu ainda não posso votar, mas, quando puder, hei-de fazê-lo sempre e conscientemente. Se votar dez vezes seguidas no PSD é porque assim o entenderei, e fá-lo-ei de maneira informada. 

Entendo que se defendam certas políticas, mas, se formos a ver, a direita e a esquerda de um país como o nosso vão dar ao mesmo. Postos na mesma situação, todos fazem o mesmo e só revelamos ingenuidade ao pensar de outra forma.

Outra coisa que me incomoda é o comodismo. Não há uma alminha neste país que esteja satisfeita com o que o nosso povo passou nestes últimos quatro anos, mas todos têm receio. Receio de mudar, receio que seja pior. Estão mal, mas preferem manter-se assim do que arriscar na mudança. Não sou fã do PS nem do PSD; detestei o Sócrates e detesto o Passos Coelho... mas se o que lá está agora não me agrada minimamente, porque não dar uma oportunidade a outro que nunca lá esteve e que talvez possa fazer melhor? Pode fazer pior, é difícil, mas pode. Mas se nunca tentarmos, nunca saberemos e vamos estar a deixar-nos levar pelo poder de pessoas que só lá estão porque nós deixamos.

Sejam cidadãos como deve ser: leiam, pesquisem, ouçam comentadores entendidos na matéria, assistam a debates, vejam as notícias. Sejam tudo menos passivos, não se deixem levar e tomem decisões conscientes e informadas. Mudem o rumo das coisas.

Um comentário:

  1. um professor meu sempre disse "nunca se deve discutir religião, política e futebol, para evitar que agiremos alguém pela janela" e tem uma certa razão. honestamente não presto tanta atenção como devia porque acho que a comunicação social satura os cidadãos com os seus pontos de vista

    ResponderExcluir

Seguidores

Google+ Followers

About me