sábado, 28 de novembro de 2015

I feel like crap


Não bastava ter ficado magoada com um grupo de "amigos" que foi ao cinema sem me convidar, juntou-se à festa a Francisca e decidiu ficar do lado da Leonor (quando nem sequer havia lados), simplesmente porque me odeia. E pode dizer as vezes que quiser que me adora, mas se ela tivesse o mínimo de respeito e consideração por mim, não fazia metade daquilo que me faz. Tem tantos ciúmes meus por me dar bem com o Tiago que eu consigo ver a hipocrisia nos olhos dela sempre que ela fala comigo e sorri ao cumprimentar-me. Não há nada que me enerve mais do que os comentários fofinhos e as coisas queridas que ela diz à frente das pessoas, quando sei perfeitamente que todos os dias diz as coisas mais horríveis sobre mim, sem ter qualquer motivo para isso. Fico chateada principalmente comigo própria, porque eu é que sou a mais estúpida no meio desta história. Não consigo contar pelos dedos as vezes que levei com os seus ataques depressivos (more like surtos psicóticos) e em que estive lá para ela, mesmo sabendo que no dia a seguir ela ia dizer mal de mim porque me ri de uma piada que o Tiago contou.

Ainda na sexta-feira foram almoçar as duas juntas e, mais uma vez, não me disseram nada. Nunca houve uma discussão, nem admitimos estar chateadas, mas claro que comecei a responder mais friamente, a rejeitar convites e a não demonstrar qualquer tipo de interesse em sair com elas, porque hipocrisia não é comigo. Estou a cingir-me às pessoas que realmente se importam comigo e com realmente me importo. Agora parece que sou eu a má da fita, porque elas nunca me fizeram nada, eu é que estou a ter uma atitude incompreensível. Sinceramente, a opinião delas e do outro grupinho sobre mim não me podia interessar menos. 
O pior disto tudo é que elas fazem parte do meu outro grupo de amigos, o mais chegado, aqueles a quem me refiro sempre como sendo os que nunca me desiludem em nada... e parece que eles tentam desculpar todas as atitudes que elas têm, em vez de ficar do meu lado. Eu sei que isto parece demasiado infantil, mas, às vezes, quando estamos chateados, só precisamos que alguém nos diga que temos razão, principalmente quando a temos. A atitude deles é de insignificância, de quem quer lá saber. Pelos vistos, a Leonor até falou com eles sobre isto e eles nem sequer mencionaram nada em conversa comigo. Só hoje, quando eu estava a falar com eles também sobre isto, é que se saíram com: "ah, eu ouvi duas versões, portanto não sei quem é que tem razão"... Não perguntaram como é que eu estava, não disseram uma única vez que a atitude delas foi má e querem lá saber que eu já nem me sinta à vontade para estar no meio deles quando elas estão. Isto custa principalmente vindo do João, porque é das pessoas mais próximas e há um mês não admitiria que ninguém dissesse mal de mim, quando agora anda todo amiguinho de quem? Da Francisca. E sempre que este assunto vem a jeito, o discurso dele é sempre de "acabem lá com isso", em vez de "não lhes ligues, I". Faz diferença.

Como podem constatar, estou demasiado emocional e só me apetece chorar, sinceramente. Provavelmente amanhã vou arrepender-me de ter publicado isto, porque estou a fazer demasiado drama, mas sinto mesmo que já (quase) ninguém no mundo está para me aturar. E não, não estou com o período.

No meio disto tudo, o Tiago só me prova que continua a excelente pessoa que sempre foi. Mesmo sem nos falarmos há semanas, vem falar comigo no chat sempre que se apercebe que alguma coisa está menos bem. Sexta-feira à noite, depois de elas irem almoçar sem mim, perguntou-me como estava, insistiu para que lhe contasse o que se tinha passado (apesar de já ter ouvido a história mil vezes, pelas outras duas) e garantiu-me que não achava minimamente correto o que elas estão a fazer. São estes pequenos gestos que esperava de mais gente, mas que nunca vêm.

 E depois há a Gabriela, claro. Mas não preciso de falar nela because she's always there, really, e não sei mesmo o que faria se não estivesse e um dia vamos casar-nos.

3 comentários:

  1. As vezes precisamos de deitar tudo cá para fora, precisamos de explodir mas que consigamos seguir em frente.

    ResponderExcluir
  2. Esses são os dramas que qualquer rapariga tem de aturar durante alguma fase da sua vida, o que não faltam aí é pessoas que nos incomodam ou que não vão com a nossa cara, com atitudes infantis =) o importante é mostrares-te superior a tudo isso e continuares na tua! Preserva bem os amigos que consideras que nunca te desiludem e o resto não ligues a essas atitudes.
    Gostei de ler o teu texto, especialmente o pequeno ponto "e não, não estou com o período" ahah adorei.
    Força nisso miúda! Beijinhos*
    Comecei a seguir-te<3 e fico à espera de novidades! Faz uma visita ao meu blog (isto se quiseres) e espero que também gostes do que publico por lá ;)

    http://nuancesbyritadias.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Seguidores

Google+ Followers

About me