sexta-feira, 19 de junho de 2015

o que é que a Grécia anda a fazer?

Ontem, ao almoço, perguntei às pessoas que estavam comigo se achavam que a Grécia estava a ter uma má atitude perante a Europa. Todos responderam que sim e eu fiquei um bocado embasbacada. Já devia saber que as ideias deles são muito diferentes das minhas no que toca a este tipo de coisa e por isso não respondi, para não alimentar uma discussão. Mentira. Não me contive. Para eles, a Grécia está errada; Portugal e o Passos Coelho estão bem. 


Eu não percebo grande coisa de política, é verdade. Cá em casa não há partidos definidos, os meus pais são imparciais e votam no que lhes parece melhor. Mas vejo televisão, ouço as notícias, ouço pessoas que percebem do assunto a comentar e parece-me que o Passos Coelho está longe de ser um bom primeiro-ministro. Parece-me que ele mente com todos os dentes que tem na boca e que nunca, nunca fez nada do que prometeu aos que votaram nele, muito pelo contrário. O que eu vejo na Grécia é um governo disposto a fazer o que for preciso para que o povo não sofra com o que a crise que se verifica. Diminuir as reformas? Nem pensar, as pessoas reformadas já estão a ser muito sacrificadas. Aumentar o custo da eletricidade? Não, já está demasiado cara. Tem que se pagar pela televisão? Então os velhinhos que passam todo o dia em casa têm que pagar para estar minimamente entretidos? Nem pensar, vamos restituir a televisão pública. Subiram o salário mínimo, travaram privatizações, recontrataram funcionários públicos que tinham sido ilegalmente despedidos. O que se está a fazer é tomar medidas sociais, este é um exemplo de um governo que vive para o povo. A situação deles está a piorar? Está sim. Mas, em 2012, quando lá estava outro governo que, tal como o governo português, fez tudo o que a União Europeia mandou, não houve um único resultado positivo depois de todo o sacrifício. As pessoas sofreram, principalmente as classes baixas (que são sempre as mais afetadas), e não houve melhorias. em. nada. Aumentaram-se os impostos, reduziram-se os salários, reduziram-se as pensões, alteraram-se leis que facilitaram despedimentos, aumentou-se a idade da reforma, privatizaram-se empresas. (Estas medidas não vos parecem familiares? São exatamente as mesmas medidas que o PSD está a tomar). Sabem quais foram as consequências destas brilhantes medidas, lá? Aumento dos juros, aumento drástico da dívida, recessão do país, disparo da taxa de desemprego, aumento do número de sem-abrigos (dos quais fazem parte licenciados!), entre outros. 

Isto está à vista de todos, mas parece que ninguém quer ver. Continuam a achar que ninguém fazia melhor do que aquilo que o Passos Coelho está a fazer, quando qualquer pessoa minimamente formada e honesta o faria. Preferem aplaudir alguém que cai na graça dos outros (da Merkel) porque até faz mais do que aquilo que lhe pedem... custa-lhe alguma coisa? Claro que não! Não é ele que sofre com as medidas que toma para o país que dirige. Enquanto isso, até vai metendo uma boa quantia para o bolso (não é por acaso que Portugal é o 5º país mais corrupto do mundo). Continuem a fechar os olhos, a votar em cores e partidos em vez de votar nas pessoas que lá estão e naquilo em que acreditam. Continuem a apoiar alguém que diz aos jovens para se porem a andar deste país para fora. Continuem a dizer que é melhor continuar assim do que vir alguém que faça pior (como se fosse possível), porque assim honram a típica mentalidade portuguesinha de "não estamos bem, mas é melhor não fazer nada para mudar isso, porque nunca se sabe...". A sério, continuem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Google+ Followers

About me